terça-feira, 7 de abril de 2009

Eu já acreditava em fantasma. Depois desta, acredito mais ainda

São Paulo foi testemunha na tarde da última sexta-feira de mais uma ação ousada do crime organizado. Os soldados do Primeiro Comando da Capital (PCC) resgataram o colega Willian Franklin Vargas de Freitas, o Fantasma, de 30 anos, do Pronto-Socorro da Vila Nhocuné, região de Itaquera, na zona leste da capital. Pessoa bem quista no partido do crime. Dizem por aí ,que o bandido pertence ao primeiro escalão do PCC.

Perseguição, corre-corre, troca de carros e tiroteio. Um bandido baleado. E dois criminosos encurralados por policiais militares, acabaram por invadir uma casa do bairro. Fizeram um homem e um adolescente reféns. A dupla tinha uma granada e ameaçava detonar "a mesma".

Foram três horas de negociações com direito à imprensa, curiosos e helicóptero da Polícia Militar. Aceitaram se entregar desde que estivessem presentes três advogados e um policial do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). Mais precisamente da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos a Banco. Essa parte eu não comento, juro. E foi o que aconteceu. Se entregaram e foram em cana.

Enquanto isso, o Gasparzinho seguia em sua fuga. Empreitada que durou pouco mais de 24 horas. Freitas estava no PS Vila Nhocuné porque foi baleado ao tentar escapar de um bloqueio da polícia na noite de quinta-feira, na Vila Aricanduva. O cabra acabou cercado, mas como apresentou o documento em nome de Dênis Félix da Silva, não foi reconhecido e a escolta no hospital não foi reforçada. Mas o criminoso, sentiu fortes dores e no sábado acompanhado de uma moça, de 25 anos, deu entrada no Hospital Mogi D'Or, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, com outro RG falso, dessa vez em nome de Rafael Vieira Souto.

Uma denúncia anônima chegou à PM, que convocou o serviço reservado (policiais que trabalham à paisana) para ir até o Mogi D'Or, com uma foto do Fantasma. Na mosca, era o cara mesmo. Ele confessou tudo aos policiais e foi recapturado. Agora me responda, você acredita ou não em fantasma?

sábado, 21 de março de 2009

Corra que a polícia vem aí! (ou vinha, né...)

video

Sem comentários

Caso Isabella: Passo a passo, mais um passo

Nem precisa de legenda


A 4ª turma da câmara do Tribunal de Justiça (TJ) votará nesta terça-feira (24) o recurso em sentido estrito impetrado pela defesa do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acusados de assinar Isabella Nardoni, de 5 anos. Ou seja, nessa data três desembargadores vão analisar o pedido dos advogados de defesa contra a sentença de pronúncia (quando o juiz Maurício Fossen, da 2ª Vara do Júri decidiu mandar os réus a julgamento). Essa manobra tem efeito suspensivo, ou seja, enquanto não for apreciado, a data do júri não poderá ser marcada.

Se o recurso cair, o TJ poderá marcar o dia do julgamento de Alexandre e Anna Carolina. De acordo com o promotor do caso, Francisco Cembranelli se tudo correr dentro da normalidade, o júri deverá acontecer no meio deste ano. Mas, mesmo com a derrota, os advogados de defesa poderão recorrer nas instâncias superiores: Superior Tribunal de Justiça (STJ) e chegar até a última, o Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo os especialistas, recorrer em segunda e terça instância não gera o efeito suspensivo.

O caso completa um ano no próximo dia 29. De acordo com a polícia, Isabella foi agredia e jogada do 6º andar do apartamento do casal Alexandre (pai) e Anna Carolina (madrasta), na Rua Santa Leocádia, na Vila Mazzei, na zona norte da capital. Ainda segundo a polícia, a menina teria sido agredida pela madrasta e jogada da janela do quarto dos irmãos, pelo pai. Os réus negam a autoria do crime.

Atualmente, Alexandre e Anna Carolina estão presos na Penitenciária de Tremembé, no Interior de São Paulo. O presídio é destinado aos presos ameaçados de morte. Situação que o casal enfrentou ameaças de morte e agressão mais de uma vez, antes de chegar nessa penitenciária. Eles estão presos há 10 meses, desde o dia 07 de maio de 2008.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Pneus e cadeiras

Sempre fiz está analogia. O secretário da segurança pública estadual equivale ao ministro da economia, na esfera federal. Então, é melhor trocar o pneu gasto, que compromete o desempenho, antes de entrar na pista. E foi isso que aconteceu com relação ao secretário Ronaldo Marzagão. Levantaram o veículo. O macaco subiu, a chave girou, os parafusos afrouxaram e colocaram o Ferreira Pinto, agora ex-secretário da administração penitenciária.

É mais do que sabido que o governador José Serra almeja ser presidente do Brasil. E por isso, ele parou o carro no box e trocou o pneu antes da corrida presidencialista começar. Mas vale lembrar que as equipes têm mais de um piloto. E pode ser que o governador assista ao grande prêmio, ali perto da pista, com a cara colada ao muro sentido o cheiro de borracha queimada e do óleo. Com aquele barulho ensurdecedor dos motores.

Em tempo, agora começará a dança das cadeiras (mais uma vez). Tem gente já esvaziando as gavetas e tirando a foto da parede. Dizem por aí, que o novo delegado-geral será um que já passou pela corregedoria e hoje está no Detran (conhecido entre os policiais como a Casa da Moeda). Comandante da Polícia Militar também deve sair e entrar um linha dura.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Marzagão, a esponja do chefe

O secretário da Segurança Pública, Ronaldo Bretas Marzagão pediu exoneração do cargo. A decisão foi divulgada hoje no Diário Oficial. Ele alegou "motivos pessoais" para deixar o cargo. Mas é evidente que a coleção de episódios de escândalos envolvendo as Polícia Civil e Militar foi o real motivo para a saída de Marzagão da pasta. O secretario atuou no governo como uma esponja. Absorveu os podres para livrar o desgate do patrão. Com isso a sua imagem foi desconstruída até que ele pediu o chapéu. Quem ocupará o cargo de Marzagão será, o atual secretário da Administração Penitenciária, Antonio Ferreira Pinto. Vale ressaltar que o Dr. Marzagão é um homem muito educado, ponderado e respeistoso. Abaixo segue a lista dos escândalos (mas tem mais).

A LISTA

1) Os caça-níqueis (explorados por policiais civis e depois por militares)
2) As acusações de corrupção que pesaram contra o ex-secretário adjunto Malheiros
3) A máfia do Detran
4) O assassinato do coronel Hermínio e os matadores do 18º Batalhão
5) A suspeita de desvio de apreensões de drogas por parte de delegados e policiais do Denarc
6) Os PMs presos acusados de formar o grupo batizado de "Highlander" que teria assassinato 1/2 dúzia ou mais de pessoas, que tiveram cabeças e mãos cortadas
7) A greve da Polícia Civil, que culminou com o conflito entre policiais civis e militares em frente ao Palácio dos Bandeirantes
8) O desfecho trágico do caso Eloah (Santo André)
9) O episódio da Favela Paraisópolis
10) ...e a falta de segurança em São Paulo. Você se sente seguro?

domingo, 15 de março de 2009

"Rota Comando" deve ser lançado em abril

Paulo Ricardo, Elias Júnior, ao lado de Andreas Kisser

O filme "Rota Comando", que conta a rotina da Rota (a tropa de elite paulista) deverá ser lançado no fim de abril desta ano. Agora o filme se encontra em fase de edição. São cerca de 300 horas de gravações que vão se transformar em 1 hora e 30 minutos. Com a finalização do material, o diretor do filme, Elias Júnior começará a negociar o formato. E a boa notícia, é que o longa metragem tem chances de chegar ao cinema.



A trilha sonora conta com o ex-RPM, Paulo Ricardo e o guitarrista do Sepultura, Andreas Kisser. A música tema do "Rota Comando" se chama "Matar ou Morrer" - mesmo nome do livro do deputado estadual, Conte Lopes (PTB), no qual o filme é baseado. O político também participou do longa metragem. Agora é só esperar!



sábado, 29 de março de 2008

Pegaaaaaaaaaaaaaaa!!!

Sr. Calça Social: "O que vocês tão olhando, o cara é grande pô?"
Sr. Calça Larga: "Corre, mano. Porque seu te pegar..."
Tiazinha de blusa verde: "Run, Forest! Run, Forest!"


Sr. Calça Larga: "Ô Pisite, olha para trás. Eu tô aqui!"
Sr. Calça Social: "Passa amanhã, não tem ninguém em casa"

Sr. Calça Larga: "Volta, aqui! Pega, Pegaaaaaaaaaa!!!"
Sr. Calça Social: "Aí caraio, o cara tá chegando "

a aproximação...

...chegando junto...

...truta a casa caiu.

Sock! Pow! Blap! Riff! Bong! Whap! Ooooof! - parte 1

Sock! Pow! Blap! Riff! Bong! Whap! Ooooof! - parte 2

Sr. Polícia: "Mão prá cabeça, porrraaa!!! Mão pra cabeça"
Motoboy:"Ah, o que? Cuma?"

Sr. Calça Larga: "Ô dotô, quebra essa vai"
Polícia3: "Vai dá não, todo mundo tá vendo "
Sr. Calça Social: "Seu guarda fala pra ele que assim eu não brinco mais"
Polícia 3: "Você quer que eu ligue prá sua mãe, meu filho"
Polícia 4: (Robert)
THE END

O flagrante foi registrado, na manhã de quinta-feira (27), pela câmera do fotógrafo Alex Silva (Agência Estado). Tudo começou por causa de uma briga de trânsito, uma fechada na Avenida Tiradentes, no bairro da Luz, região Central da cidade de São Paulo.
Fechada prá lá, fechada pra cá, bate-boca (o que nos códigos de atendimento de ocorrências da polícia é conhecido como Charlie 04 - o nome de bastimo do blog) e uma batidinha de leve. Mas abriga se deu na Rua Ribeiro de Lima, na porta do Comando de Polícia da Capital (CPC). Não podia dar em outra coisa a não ser: cana.
Os senhores Calça Larga e Social (esse último depois de passar no Pronto-Socorro da Santa Casa) foram levados ao 2º DP (Bom Retiro), onde prestaram depoimento e acabaram liberados. O próximo round deve acontecer no tribunal.